quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sindrome de Peter Pan

Vocês sempre foram o meu alicerce, meu ponto de paz...

Nunca soube o que é ter pais juntos, mas isso nunca me fez falta por que sempre tive os dois, dentro de mim.

Talvez eu não tenha sido a filha dos sonhos, sei que dei muito trabalho, cabelos brancos, e preocupações.

Mas, agora vi que é a hora de amadurecer, de por em pratica tudo que vocês me ensinaram, de sair do casulo, ser uma borboleta e voar longe. Sempre quis ser mais velha do que minha própria idade, sempre quis crescer, mas hoje eu vejo que o que mais quero, e ficar perto de vocês, eu quero ser o filhote, eu quero colo de mãe e pai.

Não quero crescer, não quero ser independente.

Não quero sair de perto de vocês, pois são os meus presentes de Deus. Me deixem deitar em seus colos, me dêem abrigo quando eu precisar chorar, coloquem o cobertor em mim. Não deixem que o monstro do tempo me pegue, fiquem comigo mais um pouquinho, o fantasma do vestibular me dá medo.

Meninos voltaram a me assustar, não quero um Príncipe, só quero meu rei e minha rainha.

Eu posso voltar a ser a princesa?

Eu tenho medo, medo de perder vocês, de virar adulta cheia de contas, compromissos.

Eu ainda posso ser o filhote que o papai cantava “O caderno” e a mamãe “Olha menina”?

Vocês foram sempre tudo que precisei.

Eu prometo que vou orgulhar vocês...

Mas só dessa vez.

Me deixem ser a menininha

1 comentários:

Rafael disse...

Caramba, colocou em palavras o que todos sentem nessa fase de transição tão Assustadora (com A maiúsculo mesmo).
O bom dos escritores é que eles diagnosticam nosso estado de espírito, lêem nossa alma.
Agora eu sei que do que eu sofro é chamado Síndrome de Peten Pan.