quarta-feira, 29 de junho de 2011

Um pouco sobre a moça do espelho


Sempre fui julgada pela minha aparência, se alguém fosse me dar um adjetivo seria “estranha”!

Sim, estranha... Sinônimo de diferente, esquisita, etc.

Mas quer saber, eu gosto disso, o normal não me atrai o comum não me inspira.

Sou diferente de todas as meninas que conheço, talvez delas eu só tenha de comum a vaidade, que às vezes nem é tanta assim.

Gosto de ficar em casa, ao invés de ir pra uma balada, escolho sempre o cara inteligente ao invés do bonito, talvez por que acredite que a beleza que a mídia emprega, não é a certa.

Já li mais livros na infância que muitos acadêmicos, me visto de forma esquisita por que me sinto bem assim!

Gosto de andar descalça sobre a grama, deitar sobre ela, e contar estrelas.

Me arrisco a acreditar em contos de fadas, sou inconstante, incoerente, irritante.

Ajo feito um menino as vezes, me dou melhor com eles que com as meninas.

Gosto de colo de vó, desenho animado, e sei decorado o nome de pokemons!

Grito, choro, sorrio, isso tudo em menos de um minuto, nunca fui a rainha da beleza, mas sou bonita do meu jeito, cheia de defeitos, manias, e posso até arriscar que PERFEITA seja o meu antônimo, amo intensamente, quebro a cara, e amo de novo!

Escrevo por que amo, por que me sinto bem, pra alguns é só mais um blog adolescente, mas aqui eu colo toda a minha essência, colo minha alma em palavras, sem querer fama, ou nada em troca, por que escrever é meu vício, aquilo que me alivia.

Vivo um sonho, e nele persisto, a realidade não me atrai, as minhas ilusões me fazem feliz... Feliz do meu jeito.

Eu sou Nagisa Helena Nascimento Veríssimo Carvalho Dantas, e me amo desse jeito!

Se isso não é perfeito, então eu não sei o que é!

domingo, 26 de junho de 2011

Listen to my voice it's my disguise,i'm by your side


Você faz com que eu ache razões pra sorrir, e como se cada segundo do meu dia, apesar de ilógico, eu dedicasse a você, a uma forma de tentar de fazer feliz.

É você que irradia a minha vida de luz, de uma alegria sem explicação.

Mas agora eu vejo, sinceramente, você é a única coisa que eu acertei

O único que eu guardo dentro de mim, agora posso respirar, porque tenho você!

Com você é que dou meus mais sinceros sorrisos, mesmo que por uma besteira, ou uma onomatopéia boba.

Você me deixa vermelha quando fala algo forte, eu até finjo ser durona, mas fico tão constrangida quando você.

Eu sei que essa maldita distância me impede de te tocar, mas não me impede de sentir, isso tudo que eu sinto, com você eu perco as palavras, o fôlego, a razão!

Eu ainda tenho tanto pra dizer, se cada simples palavra que eu escrevi para você

Pudesse tirar seu fôlego, eu ia escrever tudo.

Tenho urgência de ti, meu bem... Eu sei que logo logo, quando eu segurar as tuas mãos, meus medos vão sumir, afinal você é o motivo da minha calma.

Se você se arriscar eu me arrisco contigo, se você confiar, eu confio contigo, se você prosseguir eu prossigo contigo, com você eu sei eu vou até o fim da estrada, até onde Deus nos permitir ir.

Afinal amor, não se faz de presença, e sim de confiança!

Eu sinto tudo isso e muito mais por você, você faz a felicidade existir dentro de mim!

Caio Pablo

sexta-feira, 17 de junho de 2011

As surpresas que a vida trás

Era só mais um dia normal, ela levantou com sua avó chamando, lembrou-se do compromisso chato, que tinha que cumprir. Tomou banhou sem muita vontade, afinal estava chovendo.

Vestiu-se e foi, com sua tia até o centro da cidade, o banco ainda não havia aberto, mas, a fila já estava enorme.

Fila de banco é assim, sempre tem vários tipos de idiotas: Os que puxam assunto sobre o clima, têm os que fingem atender ao telefone para parecem importantes, os que encaram com cara com jeito de psicopata.

Para essas situações ela sempre tinha um truque, que era o anel dourado que tinha ganhado do avô, era só por a pedra pro outro lado, e colocar o anel no dedo anelar da mão direta, afinal, ela não tinha cara de quem já era casada, mas se fazer de noiva, já era um grande avanço.

Procurou seu fone de ouvido, na bolsa... Achou até um pregador de roupa, mas nada do fone.

Como aquilo, ainda ia demorar resolver ouvir música, no celular mesmo.

Colocou baixo, encostou no ouvido, ficou ali curtindo Jack Johnson, naquela manhã chuvosa, então a senhora da frente resolveu sair, então distraída deu passos a mais, e esbarrou...

Numa nuca Linda, de cachos caindo em cima. Então ele se virou, e deu um sorriso, um sorriso lindo num aparelho Azul Caribenho *-*.

Sentiu seu rosto enrubescer, ele voltou a olhar pra frente, enquanto ela se derretia toda, então notou que ao redor daquele pescoço havia um crachá conhecido, era o mesmo crachá que ela usava ano passado, quando ainda trabalhava, então rapidamente, pensou: - Se ele puxar assunto, eu já tenho o que falar, mas ela não teria coragem de puxar assunto, apesar de que o perfume dele já a tinha feito perder um pouco do controle.

Ela sempre ficava com as mãos suadas quando estava nervosa, então quando foi enxugar suas mãos, sentiu um leve arranhar no vestido. Era o anel, que seu avô havia lhe dado anos atrás, (talvez essa fosse a única coisa útil que ele já havia feito pra ela), então tentou tirar o anel, que não saia por mais esforço que ela fizesse, então para que ele não percebesse colocou a mão na cintura, o que também lhe fazia se sentir um pouco mais charmosa, e ficava mesmo.

Deu uns três passos pro lado, com o canto do olho leu o nome do Crachá: Fabrício Navarro Dias, sobrenome Hispânico, achou interessante, mas ainda mais interessante era a covinha que tinha no rosto.

Bem, ela já sabia três coisas sobre ele: Seu nome, onde trabalhava, e que fazia faculdade de Direito, porque só estudantes de Direito estagiavam naquela empresa, ela só havia trabalhado lá por puro nepotismo, ainda estava no 3º ano, mas sabia que Direito não era uma área que ela se interessaria.

Ela sentiu muita vontade de espirrar, mas não queria causar má impressão, então teve a bela ideia de segurar espirro, e quase estourou as veias do cérebro, aquilo lhe deu uma enxaqueca daquelas, a fila andava lentamente até que abriram o banco, ela foi para um lado, ele para o outro, mas ela sentia que ele a seguia com os olhos pra onde quer que fosse.

Foi atendida, e por mais incrível que pareça, foi rápido.

Então teve a brilhante e mirabolante ideia, de ir até o caixa eletrônico, como não tinha papel nem caneta, mas o que não lhe faltava na bolsa eram maquiagens, tirou um extrato e escreveu atrás com um batom vermelho, o seu nome e numero de telefone.

Fingiu estar olhando as mercadorias de um ambulante e depois saiu saltitando, pois viu que 2 minutos depois viu ele indo direção ao caixa, e pegou seu papel.

Sentiu seu coração palpitar, quando o viu anotando no seu número celular,

E vocês me perguntam, e depois?

AAAH, o depois eu conto quando ele me ligar!

Caio Pablo

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sindrome de Peter Pan

Vocês sempre foram o meu alicerce, meu ponto de paz...

Nunca soube o que é ter pais juntos, mas isso nunca me fez falta por que sempre tive os dois, dentro de mim.

Talvez eu não tenha sido a filha dos sonhos, sei que dei muito trabalho, cabelos brancos, e preocupações.

Mas, agora vi que é a hora de amadurecer, de por em pratica tudo que vocês me ensinaram, de sair do casulo, ser uma borboleta e voar longe. Sempre quis ser mais velha do que minha própria idade, sempre quis crescer, mas hoje eu vejo que o que mais quero, e ficar perto de vocês, eu quero ser o filhote, eu quero colo de mãe e pai.

Não quero crescer, não quero ser independente.

Não quero sair de perto de vocês, pois são os meus presentes de Deus. Me deixem deitar em seus colos, me dêem abrigo quando eu precisar chorar, coloquem o cobertor em mim. Não deixem que o monstro do tempo me pegue, fiquem comigo mais um pouquinho, o fantasma do vestibular me dá medo.

Meninos voltaram a me assustar, não quero um Príncipe, só quero meu rei e minha rainha.

Eu posso voltar a ser a princesa?

Eu tenho medo, medo de perder vocês, de virar adulta cheia de contas, compromissos.

Eu ainda posso ser o filhote que o papai cantava “O caderno” e a mamãe “Olha menina”?

Vocês foram sempre tudo que precisei.

Eu prometo que vou orgulhar vocês...

Mas só dessa vez.

Me deixem ser a menininha

segunda-feira, 6 de junho de 2011

1º Selinho *---*


Bem, esse é o meu primeiro selinho, um presente da linda Luciana Mira do blog
"Queria tocar o céu", um blog lindo, com textos cheios de amor e fé!
Então, preciso indicar 5 blog que me fazem tocar o céu.

São eles:
Perfeição em desencontro
: Da Maira Carvalho, textos lindos de fazer brotar lágrimas de emoção!
Caminhos de Camila: Da Camila Blopes, de emocionar *-*
Depois dos Quinze: Da minha diva, Bruna Viera... Amor, Moda, Fotografia.TUDO!
Caramelo de Limão: O primo do temsabordecaramelo, da linda Jéssica Marques.
Pra quê esse coração tão grande?: É a fofura em um blog, visitem a Winny Trindade

Beijos com sabor de caramelo a todos!

Caio Pablo