segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Cidade Porto, deixo aí pedaços da minha alma


Lembro do primeiro dia que cheguei naquela cidade, tudo parecia tão impessoal, todas as pessoas me olhavam, e eu nunca fora acostumada em ser o centro das atenções.
Ruas vazias, corredores largos, me levaram a um novo começo. Uma nova “eu” ia surgir, e nem desconfiava disso. É engraçado as pessoas te observarem com olhares diferentes, eu me sentia meio “extraterrestre” naquela cidade.
Sempre fui a menina de cabelo comprido, com franja e fone de ouvido, nunca tive muitos amigos, pelo simples fato de me taxarem de algo que não sou antes de me conhecer.
Mas numa cidade nova você pode ser que você quiser, e eu escolhi ser a mesma de sempre.
Novamente sofri criticas por ser a menina dos livros, aquela que não se mistura com quase ninguém, aquela de poucos e bons amigos. Sim, ótimo amigos eu fiz naquela cidade, amigos que certamente levarei pra sempre comigo.

Naquela pequena cidade, eu me descobri! Eu fui eu mesma ,” Menina-Moleca” andando descalça pela rua, sorri como nunca na minha vida, posso garantir que passei lá uns dos melhores momentos da minha vida.
Bem, eu só tenho agradecer aquela pequena cidade, que me acolheu de braços abertos mesmo quando eu a desprezava, e agradecer também as pessoas que contribuíram pra que eu posso dizer com todo orgulho que AMO a cidade Caracaraí, mesmo que vários de seus habitantes não gostem de mim.

E que venham as outras cidades, os outros países, as novas pessoas...
Eu aprendi que não é a cidade que faz você, é você que faz a cidade!
Obrigada por tudo Caracaraí!

Fizeram parte da minha jornada
Valdemara Corrêa
Vanessa Marques
Maria do Livramento
Mayra Roberta                                                     
Bianca Sabrina
Diego Robert
Geilton Queiroz
Eldilene Araujo
Nayra Joanina
Kellen Garone
Francisco Ítalo
Eduardo Bezerra “in memoriam”
Amanda Magdalenna
Wesleyjanne Mesquita
Victor Martins



Agradeço a cada um de vocês por cada bom momento proporcionado ao lado de cada um...

                                               MUITO OBRIGADA

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Aproveite!


Quem disse que chorar é sinal de fraqueza?
Quem disse que sorrir é bobeira?
Todos temos uma criança dentro de si, e o que importa é o que você faz com ela.
Por isso eu corro, pulo, canto, grito, danço feito louca no meio da rua. Eu me visto jeito que quero, pois as pessoas mais legais do mundo não estão nem aí pra o que as pessoas pensam delas. Sou totalmente inconstante, sou louca... Isso mesmo, sou louca de pedra, “doidinha da latinha”.
Gosto de andar de bicicleta a 100 km por hora, de cantar sem saber a letra, tomar litros de sorvete, depois comer coisas gordurosas que provavelmente vão me encher de celulite.
Faço coreografias estúpidas em frente ao espelho, dou apelidos bestas para minhas amigas, durmo rodeada de bichos de pelúcia, e não sou menos mulher por ser assim.
Se for pra me tornar uma adulta vazia e cheia de exigências, prefiro continuar a moça de 17 anos com alma de moleca.
Eu mando beijinhos a todos que me olham torto, pois essas pobres criaturas têm inveja da coragem que tenho de mostrar pra todo mundo como sou de verdade,
Divirto-me tanto sem ter uma cinturinha esquelética, ou uma bunda enorme!
Me chamam de idiota, mas idiota não é a pessoa  que tem coragem de viver intensamente.
Idiotas são aqueles que não sabem o quanto querem e podem ser diferentes.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

S.O.S

Eu fechos olhos, e te vejo.
Ouço algo bonito, lembro de tua voz...
A brisa toca meu rosto e eu te imagino,

Eu tenho urgência de ti, oh meu amor!






Caio Pablo

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Um pouco sobre a moça do espelho


Sempre fui julgada pela minha aparência, se alguém fosse me dar um adjetivo seria “estranha”!

Sim, estranha... Sinônimo de diferente, esquisita, etc.

Mas quer saber, eu gosto disso, o normal não me atrai o comum não me inspira.

Sou diferente de todas as meninas que conheço, talvez delas eu só tenha de comum a vaidade, que às vezes nem é tanta assim.

Gosto de ficar em casa, ao invés de ir pra uma balada, escolho sempre o cara inteligente ao invés do bonito, talvez por que acredite que a beleza que a mídia emprega, não é a certa.

Já li mais livros na infância que muitos acadêmicos, me visto de forma esquisita por que me sinto bem assim!

Gosto de andar descalça sobre a grama, deitar sobre ela, e contar estrelas.

Me arrisco a acreditar em contos de fadas, sou inconstante, incoerente, irritante.

Ajo feito um menino as vezes, me dou melhor com eles que com as meninas.

Gosto de colo de vó, desenho animado, e sei decorado o nome de pokemons!

Grito, choro, sorrio, isso tudo em menos de um minuto, nunca fui a rainha da beleza, mas sou bonita do meu jeito, cheia de defeitos, manias, e posso até arriscar que PERFEITA seja o meu antônimo, amo intensamente, quebro a cara, e amo de novo!

Escrevo por que amo, por que me sinto bem, pra alguns é só mais um blog adolescente, mas aqui eu colo toda a minha essência, colo minha alma em palavras, sem querer fama, ou nada em troca, por que escrever é meu vício, aquilo que me alivia.

Vivo um sonho, e nele persisto, a realidade não me atrai, as minhas ilusões me fazem feliz... Feliz do meu jeito.

Eu sou Nagisa Helena Nascimento Veríssimo Carvalho Dantas, e me amo desse jeito!

Se isso não é perfeito, então eu não sei o que é!

domingo, 26 de junho de 2011

Listen to my voice it's my disguise,i'm by your side


Você faz com que eu ache razões pra sorrir, e como se cada segundo do meu dia, apesar de ilógico, eu dedicasse a você, a uma forma de tentar de fazer feliz.

É você que irradia a minha vida de luz, de uma alegria sem explicação.

Mas agora eu vejo, sinceramente, você é a única coisa que eu acertei

O único que eu guardo dentro de mim, agora posso respirar, porque tenho você!

Com você é que dou meus mais sinceros sorrisos, mesmo que por uma besteira, ou uma onomatopéia boba.

Você me deixa vermelha quando fala algo forte, eu até finjo ser durona, mas fico tão constrangida quando você.

Eu sei que essa maldita distância me impede de te tocar, mas não me impede de sentir, isso tudo que eu sinto, com você eu perco as palavras, o fôlego, a razão!

Eu ainda tenho tanto pra dizer, se cada simples palavra que eu escrevi para você

Pudesse tirar seu fôlego, eu ia escrever tudo.

Tenho urgência de ti, meu bem... Eu sei que logo logo, quando eu segurar as tuas mãos, meus medos vão sumir, afinal você é o motivo da minha calma.

Se você se arriscar eu me arrisco contigo, se você confiar, eu confio contigo, se você prosseguir eu prossigo contigo, com você eu sei eu vou até o fim da estrada, até onde Deus nos permitir ir.

Afinal amor, não se faz de presença, e sim de confiança!

Eu sinto tudo isso e muito mais por você, você faz a felicidade existir dentro de mim!

Caio Pablo